UNE e UBES montam acampamento em frente ao Ministério da Fazenda contra ajuste de Joaquim Levy

Por Daniel Lima, da Agência Brasil

Estudantes da União Nacional dos Estudantes (UNE) e da União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes) montaram acampamento, hoje (10) pela manhã, em frente à sede do Ministério da Fazenda, em Brasília, para protestar contra os cortes de verbas na educação em consequência do ajuste fiscal estabelecido pelo governo.

Segundo os organizadores, há cerca de 200 estudantes acampados no local. Para a Polícia Militar, há 60 estudantes. Há 50 barracas montadas.

A presidenta da UNE, Carina Vital, disse que o movimento dos estudantes ocorre em razão de o governo adotar como lema o “apoio à pátria educadora, enquanto corta recursos para a manutenção dos bandejões”. Ele acrescentou que os estudantes também protestam contra a demissão de servidores terceirizados, que dão o suporte administrativo às universidades,

Carina Vital disse que os estudantes vão manter os acampamento até serem recebidos pelo ministro da Fazenda, Joaquim Levy. Ela acrescentou que, à tarde, os estudandes vão ao Congresso Nacional para protestar também contra a proposta que reduz a maioridade penal de 18 para 16 anos,

A presidenta da Ubes, Bárbara Melo, disse que o ajuste fiscal “ignora um problema real que existe hoje na educação brasileira: a saída da crise não passa pela diminuição dos investimentos e sim pelo aumento dos investimentos”.

A Agência Brasil tentou ouvir a posição do ministério da Fazenda sobre os protestos. Não houve resposta do ministério até o momento da edição desta matéria.

O Ministério da Educação (MEC) informou que não vai comentar a decisão dos estudantes de acamparem em frente ao Ministério da Fazenda. O MEC acrescentou que o ministro da Educação, Renato Janine Ribeiro, está hoje (10) na Comissão de Educação da Câmara dos Deputados, onde terá oportunidade de dialogar com representantes da UNE, que também lá se encontram. Segundo o MEC, “o diálogo [do governo] com as entidades estudantis está sempre aberto”.

Frente em Defesa da Petrobras se reúne com presidente da estatal

A Frente Parlamentar em Defesa da Petrobras se reúne nesta tarde com o presidente da estatal, Aldemir Bendine, para tratar do balanço divulgado na semana passada e das estratégias de recuperação da empresa. O encontro ocorrerá na sede da Petrobras em Brasília, às 16h30.

“Há uma tentativa de desestabilização da companhia praticada pelos tucanos e nós não vamos permitir isso. Vamos atuar no Congresso  a favor de um dos maiores patrimônios do povo brasileiro”, afirmou o presidente da frente, deputado Davidson Magalhães (PCdoB-BA).

De acordo com o balanço divulgado pela Petrobras, a companhia teve prejuízo de R$ 6,2 bilhões com os desvios de recursos investigados pela Operação Lava Jato, da Polícia Federal. O resultado líquido de 2014 ficou negativo em R$ 21,6 bilhões.

Governo prepara pacote para taxação de grandes fortunas, diz Gleisi

O governo da presidenta Dilma Rousseff prepara um pacote para taxar as grandes fortunas. A medida, que é uma reivindicação das centrais sindicais e movimentos sociais com alternativa para conter as contas públicas e não sacrificar os trabalhadores, foi confirmada pelo ministro Nelson Barbosa (Planejamento), na quarta-feira (25), em uma reunião no Planalto com a bancada do PT no Senado.

 

Gleisi afirmou que o ministro Nelson Barbosa confirmou a medida em reunião com senadoresGleisi afirmou que o ministro Nelson Barbosa confirmou a medida em reunião com senadores

A senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), em entrevista à Folha de S. Paulo, afirma que Barbosa disse que haverá ação sobre os mais ricos. “Nós colocamos que essas medidas eram importantes, que achávamos que deviam ser feitas algumas adequações [nos ajustes já anunciados], mas que seria muito importante que tivéssemos também medidas que atingissem quem tem renda maior na sociedade, seja na área de impostos ou outras medidas”, afirmou a senadora. Continuar lendo

PMDB insiste em votar PEC que reduz ministérios

Mesmo com o vice-presidente Michel Temer atuando na articulação política do governo, a bancada do PMDB na Câmara insiste em votar uma iniciativa que constrange o Planalto: a Proposta de Emenda à Constituição que reduz de 39 para 20 o número de ministérios. A previsão dos líderes da base aliada é que a admissibilidade da proposta seja votada na quinta-feira (23), na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). Continuar lendo

Limite no número de ministérios será definido na próxima quarta

Foi marcada para a próxima quarta-feira (22), pelos deputados da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), a decisão sobre o número de ministérios que o governo poderá ter. A Proposta de Emenda à Constituição (PEC 299/13), que versa sobre o assunto, não teve avanço nos colegiados nas primeiras tentativas de votação.

Continuar lendo