Governo Tucano em Goiás atesta incompetência ao propor militarizar mais 8 escolas

“Militarização dos Colégios de Goiás, é um atestado de incompetência”, afirma dirigentes estudantis.

O governador Marconi Perillo encaminhou, na quarta-feira (24), à Assembleia Legislativa de Goiás, projeto de lei que dispõe sobre a transformação de oito unidades de ensino público em colégios militares em Goiânia, Aparecida de Goiânia e Senador Canedo.

Enviado em caráter de urgência à Alego, o projeto determina prazo de até 30 dias para que a Secretaria de Educação, Cultura e Esporte (Seduce) e o Comando-Geral da Polícia Militar adotem todas as medidas administrativas para que os colégios militares passem a funcionar em sua plenitude.

São listados no processo de número 2015002180 os colégios estaduais Miriam Benchimol, Waldemar Mundim e Jardim Guanabara, em Goiânia; Colina Azul, Mansões Paraíso, Madre Germana e João Barbosa Reis, em Aparecida de Goiânia; e Pedro Xavier Teixeira, em Senador Canedo. No total, ao longo deste ano, 24 unidades serão transformadas em colégios militares.

Na mensagem, o governador justifica a necessidade de transformação “em razão dos bons resultados apresentados pelos colégios militares, que proporcionam rigoroso padrão de qualidade, primeiro lugar no Índice de Desenvolvimento de Educação Básica (Ideb) de Goiás e destaque no Enem”.

Diz o texto ainda que os colégios militares “têm sua eficácia e credibilidade atestadas pela comunidade, que ressalta, inclusive, os ensinamentos de cidadania que são ministrados, com destaque para o respeito ao cidadão”

Segundo o projeto, ficará a cargo da pasta da Educação propor ao governador a extinção dos cargos em comissão ou funções comissionais “quantos bastem” para compensar o custo financeiro decorrente do acréscimo de Funções Comissionadas de Administração Educacional Militar.

A mensagem ressalta ainda que a execução da medida “em hipótese alguma” poderá trazer prejuízo aos alunos, ficando vedada a transferência de pessoal docente ou administrativo para outros colégios da Seduce, a fim de que a regularidade do ensino nelas seja mantida intacta.

Foto: Wesley Costa

Com informações de Diário da Manhã

Audiência discute inserção da “Ideologia de Gênero” no plano municipal de educação

O projeto chegou na Câmara Municipal de Teresina para ser votado em caráter de urgência

 A Câmara Municipal de Teresina vai discutir na próxima terça-feira, dia 23, em audiência pública, a inserção da “Ideologia de Gênero” no Plano Municipal de Educação, que trata das políticas curriculares apontando a diversidade e a identidade de gênero de crianças e adolescentes. O requerimento proposto pelos vereadores Cida Santiago (PHS), Dudu (PT) e Teresa Brito (PV), vai aprofundar as discussões do documento que gerou polêmica na última semana. A ideia é que a partir da audiência seja aprofundado e discutido pelos vereadores, autoridades da Educação Pública da capital, da defesa da criança e do adolescente e pela população em geral.

Participarão representantes do movimento LGBT, Secretaria Municipal de Educação, Arquidiocese de Teresina, vereadores da capital e demais entidade ligadas à temática. O projeto chegou na Câmara Municipal de Teresina para ser votado em caráter de urgência para que o plano municipal possa está alinhado ao plano nacional. Em 2014, o Congresso Nacional havia retirado do Plano Nacional de Educação (PNE) todas as menções a “Ideologia de Gênero”, mas o atual governo voltou com as discussões a respeito da temática.

A vereadora Cida Santiago (PHS) defende que a “Ideologia de Gênero” é contrária ao plano de Deus e fere gravemente a identidade da família. “Vamos mobilizar todos os nossos vereadores para que nenhum artigo referente a este assunto seja inserido no Plano de Educação Municipal. Defendemos a vida e a família e vamos ser incansáveis para retirar esta ideologia do PNE. Estão tentando mostrar a família como uma instituição falida e coibir a responsabilidade dos pais na educação dos seus filhos. Seremos incansáveis para que isto não seja aprovado”, afirmou a vereadora Cida Santiago.

O Plano Nacional de Educação (PNE), sancionado no ano passado (Lei 13.005, de 25 de junho de 2014), prevê metas da educação básica até a pós-graduação para serem atingidas nos próximos dez anos. A lei estipula que os estados e os municípios elaborem os próprios planos para que as metas sejam monitoradas e cumpridas localmente. Foi determinado o prazo de até 24 de junho de 2015 para que os planos sejam aprovados. Dentro deste plano, o PNE previa, originalmente, acrescentar nas escolas o ensino da ideologia de gênero.


Deputados da bancada da bala são barrados por estudantes em corredor da câmara

11403301_1016898971655146_3753990025824158081_n

Foto: Joaquim Dantas

Ontem, ainda na saída da comissão especial que apreciava o relatório favorável à redução da maioridade penal, uma cena curiosa. Estudantes mobilizados pela Ubes, ANPG e UNE que protestavam contra a redução da maioridade penal, foram atropelados pelos deputados da bancada da bala.

Os deputados saíram do plenário da comissão especial cantando o hino nacional e adágios, como em tempos da ditadura. Os estudantes montaram uma barricada humana e se sentaram à frente. Ainda assim, os deputados forçaram e tentaram passar por cima dos jovens que estavam no local.

Em cerca de 10 a 15 minutos o embate parou quando os deputados resolveram tomar outro sentido. Foi uma vitória simbólica para os estudantes, entre as derrotas que a Câmara dos Deputados vêm impondo à sociedade brasileira, impedir deputados saudosos da ditadura de passarem e os forçando tomar outro caminho, aos gritos de “Fascistas não passarão!”.

APG UnB convoca ato contra cortes na Educação, Ciência e Tecnologia

A APG Ieda Delgado convoca os estudantes de pós-graduação da Universidade de Brasília para ato contra os cortes na Educação, Ciência e Tecnologia.

Nas últimas semanas o Governo Federal anunciou um contingenciamento de 9 bilhões de reais na educação e cerca de 25% do orçamento da Ciência, Tecnologia e Inovação.

Esse contingenciamento afeta gravemente a pós-graduação brasileira, através dos seus editais, sua estrutura e seu custeio. Os pós-graduandos brasileiros têm manifestado preocupação através da Associação Nacional de Pós-graduandos (ANPG). A Associação manifestou à presidenta Dilma que não aceitaremos cortes que afetem a pós-graduação brasileira.

Há editais que, inclusive, já foram prejudicados, como é o caso do Programa de Doutorado Sanduíche no Exterior.

O ato acontecerá às 11 h do dia 15 de junho de 2015, próxima segunda, na saída norte do ICC, chamada de Ceubinho.

Os pós-graduandos da UnB estão convidados a se manifestar contra esses cortes, por mais verbas e mais direitos para os pós-graduandos.

Via APG UnB

ENEM chega a 4,6 milhões de inscritos, prazo termina nesta sexta

Inscrições vão até as 23h59 de sexta; prazo para pagamento vai até dia 10.

A edição 2015 do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) já recebeu 4,65 milhões de inscrições. O balanço parcial foi divulgado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep) nesta terça, e o prazo termina nesta sexta-feira (5). Os candidatos devem fazer sua inscrição no site do exame.

O que é preciso

O candidato precisa ter em mãos seu RG, o número do seu CPF e um endereço de e-mail pessoal. Neste ano, o mesmo endereço de e-mail não poderá ser usado em mais de uma inscrição no exame. É necessário informar também um número válido de telefone fixo ou de celular.

Quanto custa

O Ministério da Educação aumentou o valor da taxa de inscrição para R$ 63. O aluno vai gerar um boleto bancário que deverá ser pago até o dia 10 de junho às 21h59.

O boleto bancário é criado na opção Gerar GRU. A página será aberta em uma outra janela, por isso é preciso habilitar a abertura de pop-ups no navegador.

Caso a taxa não seja paga, a inscrição do candidato será cancelada.

Quem pode fazer o exame de graça

Alunos da rede pública que cursam o 3° ano do ensino médio estão automaticamente isentos da taxa de inscrição.

Candidatos que comprovarem baixa renda também podem pedir isenção do pagamento ao final da inscrição. Após preencher o questionário socioeconômico, o estudante deve entrar na opção declarar carência. Nesse caso, é preciso conferir se o pedido foi aceito pelo Inep antes do fim do período de inscrições.

A partir desta edição, os candidatos isentos que não comparecerem nos dois dias de provas perderão o benefício para a próxima edição.

Como pedir atendimento especial

Estudantes com baixa visão, cegueira, visão monocular, deficiência física, deficiência auditiva,  surdez, deficiência intelectual, dislexia, déficit de atenção, autismo, discalculia ou com outra condição especial podem pedir atendimento especializado durante as provas do Enem. É preciso que preencham o campo específico no formulário de inscrição indicando qual o atendimento necessário durante o exame.

Gestantes, lactantes, idosos, alunos em classe hospitalar e sabatistas também têm o direito a atendimento específico desde que informem sua condição no ato da inscrição.

Nome social

Travestis e transexuais podem solicitar o uso do nome social no exame. Para isso, devem fazer sua inscrição normalmente no site até o dia 5 de junho.

No período entre 15 e 26 de junho, devem entrar novamente na página do Enem e solicitar o uso do nome social em formulário disponível on-line. O candidato deve ter documentos comprobatórios de sua condição.

Diploma de ensino médio

O candidato que tiver mais de 18 anos e pretende usar o exame nacional para pedir a certificação de ensino médio deve indicar seu objetivo na inscrição.

Língua estrangeira

No formulário da=e inscrição, o candidato deve selecionar se quer responder a perguntas de inglês ou de espanhol como língua estrangeira.

Local para a prova

O estudante deve escolher em qual cidade pretende fazer as provas do exame nacional, que serão aplicadas nos dias 24 e 25 de outubro. O local pode ser alterado até o fim do período de inscrições.

Confirmação de inscrição

Os candidatos que pediram a isenção do pagamento devem conferir na página do Enem se o seu pedido foi aceito até o dia 5 de junho. Caso o pedido seja negado, é preciso criar o boleto de pagamento no site e pagá-lo até o dia 10 de junho.

Cartão de confirmação da inscrição

Neste ano, o cartão de confirmação do candidato será divulgado pelo Inep apenas no site do Enem. Ainda não há data prevista para sua divulgação.

Da Redação, com INEP.