PMDB e oposição discutem duas vias para deflagrar queda de Dilma

Bloco na rua As principais lideranças da oposição e do PMDB discutem abertamente dois caminhos possíveis para deflagrar, já em agosto, movimento para forçar a queda de Dilma Rousseff. De um lado estão os que defendem a cassação da chapa Dilma-Michel Temer no TSE e a convocação de novas eleições em três meses. Do outro, o grupo que defende uma “saída Itamar”, com processo de impeachment contra a presidente. Nesse caso, Temer assumiria um governo de “repactuação nacional”.

Grupo 1 Entre os que apostam na saída TSE está a ala do PSDB ligada a Aécio Neves (MG), que acredita que o senador venceria nova eleição graças ao recall de 2014.

Costura Aécio e o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que assumiria a Presidência por 90 dias caso a Justiça Eleitoral cassasse Dilma, conversaram várias vezes sobre os cenários da crise nas últimas semanas.

Soft A ala dos que avaliam que a melhor saída institucional seria Temer assumir o governo engloba o PMDB do Senado, ministros de tribunais superiores, juristas e tucanos como o senador José Serra.

No voto Ministros do TSE dizem que o tribunal é majoritariamente favorável à convocação de novas eleições em caso de cassação da chapa. Eles descartam a possibilidade de Aécio, segundo colocado, assumir sem novo pleito.

Dá cá aquela palha O ambiente político está sendo preparado. “E, quando se quer fazer algo, qualquer Fiat Elba resolve”, diz um tucano, em referência ao carro que derrubou Fernando Collor.

C’est fini Parlamentares da base relatam que a derrota na votação do reajuste do Judiciário foi a prova de que Dilma não tem sustentação no Congresso. “O governo acabou”, diz um peemedebista.

Senha A discussão sobre a implantação do parlamentarismo, na volta do recesso, será um ingrediente a mais para desgastar o governo. O fato de o tema ganhar corpo evidencia a tibieza do Planalto, dizem parlamentares.

Sem GPS Senadores petistas que perceberam o recrudescimento da crise relatam, em tom de desânimo, que o crescimento da articulação para depor Dilma passou ao largo da conversa de Lula com as bancadas do partido, na segunda-feira.

Para fora Com o cenário da disputa de 2018 em vista, Geraldo Alckmin convidou deputados de fora de São Paulo para cerimônia nesta sexta no Palácio dos Bandeirantes. Parlamentares do Rio, do Maranhão e da Bahia foram recebidos por ele no gabinete depois da solenidade.

Como está fica 1 A Sabesp prepara nova campanha publicitária para ser veiculada ainda em julho. A ideia é mostrar números das obras da estatal e da economia de água —e pedir que a população continue economizando.

Como está fica 2 Há receio na empresa e no governo de que a melhora no cenário e a menor presença do tema no noticiário levem a uma queda na adesão às campanhas de redução de consumo.

Trampolim O governo paulista avalia que as disputas política e jurídica sobre a redução da maioridade penal podem dar força para que a proposta de alteração no ECA ressurja no segundo semestre como tese de consenso.

‌Pedala, Pezão De Dilma, sobre seu esforço para que o governador Luiz Pezão, que ganhou um uniforme do comitê olímpico, pratique ciclismo: “Cada vez mais, aliás, melhor dizendo, cada vez menos, ele tem, cada vez mais, razão para praticar esporte”.

Visita à Folha Augusto Nardes, ministro do Tribunal de Contas da União, visitou ontem a Folha, onde foi recebido em almoço. Estava com Hamilton Caputo Delfino Silva, secretário de Controle Externo de São Paulo, e Ives Gandra Martins, advogado.


TIROTEIO

Não tenho porta-voz. Qualquer ato de minha atividade política sempre foi e continuará sendo comunicado por mim mesmo.

DO VICE PRESIDENTE MICHEL TEMER (PMDB), sobre fala de Eduardo Cunha e outros peemedebistas de que ele é sabotado e deve deixar a articulação política.


CONTRAPONTO

Dicionário de citações

Durante a assinatura de um convênio entre o governo de São Paulo e o federal para ações de saneamento, João Paulo Papa (PSDB-SP) falou em nome dos deputados. Logo no início, lembrou São Francisco de Assis:

—A irmã água é muito humilde, preciosa e casta!

O ministro Aldo Rebelo falou na sequência:

—Eu me preparava para citar padre Vieira, mas não sei se está à altura da sua citação… —brincou.

Geraldo Alckmin encerrou as falas arrancando risos:

—Vocês lembraram nosso santo maior, nosso orador sacro maior. Eu me permito uma citação mais modesta: vou contar uma história do Zé Dito, aqui de Guariba!

UBM lança nota contra adesivos misóginos com imagem da presidenta Dilma

20150702155003Usuários das redes sociais estão revoltados com um adesivo para carros que foi feito com a imagem da presidente Dilma Rousseff (PT) que simula um ato sexual com a mangueira de combustível no momento em que o veículo é abastecido. O assessório pode ser encontrado à venda no site Mercado Livre por R$ 34,90 e é vendido por um perfil de Recife (PE). A intenção seria “protestar” contra o aumento da gasolina – também há pedidos para a produção de outro modelo com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva “de quatro” –  mas houve uma onda de protestos em relação ao teor misógino da peça.

Nota contra os adesivos misóginos ofensivos à Presidenta Dilma

Dilma respeito
A União Brasileira de Mulheres manifesta seu repúdio e indignação com a violência sexista a que vem sendo submetida a presidenta Dilma Rousseff, com a proliferação dos infames adesivos para carros que colocam a presidenta em posição sexual.

Todos têm o direito de criticar a mandatária da nação, mas ninguém tem o direito de ofender todas as mulheres com uma imagem misógina e depreciativa, desrespeitosa com a Presidenta da República e todas as mulheres brasileiras.

Alertamos que as agressões, montagens ofensivas e de incitação à violência se manifestam como mais uma ação da onda conservadora que se agiganta no Brasil, neste momento quando o Congresso Nacional, na calada da noite, desrespeitando a constituição brasileira, aprova em primeira votação, a redução da maioridade penal!

Nós não admitiremos nenhuma forma de violência contra a mulher e exigimos o fim da comercialização dos tais adesivos, bem como de qualquer material depreciativo e/ou agressivo. O debate e a divergência políticos são saudáveis e devem existir em qualquer democracia. Machismo, não!

União Brasileira de Mulheres
1º de julho de 2015.

Frente em Defesa da Petrobras se reúne com presidente da estatal

A Frente Parlamentar em Defesa da Petrobras se reúne nesta tarde com o presidente da estatal, Aldemir Bendine, para tratar do balanço divulgado na semana passada e das estratégias de recuperação da empresa. O encontro ocorrerá na sede da Petrobras em Brasília, às 16h30.

“Há uma tentativa de desestabilização da companhia praticada pelos tucanos e nós não vamos permitir isso. Vamos atuar no Congresso  a favor de um dos maiores patrimônios do povo brasileiro”, afirmou o presidente da frente, deputado Davidson Magalhães (PCdoB-BA).

De acordo com o balanço divulgado pela Petrobras, a companhia teve prejuízo de R$ 6,2 bilhões com os desvios de recursos investigados pela Operação Lava Jato, da Polícia Federal. O resultado líquido de 2014 ficou negativo em R$ 21,6 bilhões.

UFF abre em agosto primeiro curso de mestrado em turismo do Rio de Janeiro

A Universidade Federal Fluminense (UFF) abre, em agosto próximo, o primeiro curso de mestrado em turismo do estado do Rio de Janeiro e o segundo da Região Sudeste. De acordo com o diretor da Faculdade de Turismo e Hotelaria da UFF, Marcello Tomé, o primeiro foi o da Universidade de São Paulo (USP). Continuar lendo

Limite no número de ministérios será definido na próxima quarta

Foi marcada para a próxima quarta-feira (22), pelos deputados da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), a decisão sobre o número de ministérios que o governo poderá ter. A Proposta de Emenda à Constituição (PEC 299/13), que versa sobre o assunto, não teve avanço nos colegiados nas primeiras tentativas de votação.

Continuar lendo