Ex-diretor da Petrobras diz que houve propina para PP e PSDB

Lúcio Bernardo Jr/Câmara dos Deputados

O ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa confirmou à CPI da Petrobras teor de depoimento que havia prestado à Justiça Federal, em que acusa o deputado Eduardo da Fonte (PP-PE) e o ex-presidente do PSDB Sérgio Guerra, já falecido, de cobrança de propina para evitar investigações de uma comissão parlamentar de inquérito no Congresso.

Ele disse não saber se era uma CPI da Câmara ou CPI Mista – com participação de senadores – mas afirmou que o pagamento foi feito. Costa não mencionou a quantia, nem a maneira como esse dinheiro teria sido pago, mas garantiu ter sido informado do pagamento pela empresa Queiroz Galvão.

Segundo ele, o encontro com Sérgio Guerra foi intermediado por Eduardo da Fonte e teria ocorrido em um hotel no Rio de Janeiro. “Recebi um pedido do deputado Eduardo da Fonte, do PP de Pernambuco, que pediu para se encontrar comigo e, chegando lá, estava também o senador Sérgio Guerra. Eles me disseram que estava ocorrendo uma CPI sobre a Petrobras e que isso poderia ser minorado ou postergado, mas que precisava ter um ganho, um ajuste financeiro”, disse.

De Agência Câmara de Notícias

Frente em Defesa da Petrobras se reúne com presidente da estatal

A Frente Parlamentar em Defesa da Petrobras se reúne nesta tarde com o presidente da estatal, Aldemir Bendine, para tratar do balanço divulgado na semana passada e das estratégias de recuperação da empresa. O encontro ocorrerá na sede da Petrobras em Brasília, às 16h30.

“Há uma tentativa de desestabilização da companhia praticada pelos tucanos e nós não vamos permitir isso. Vamos atuar no Congresso  a favor de um dos maiores patrimônios do povo brasileiro”, afirmou o presidente da frente, deputado Davidson Magalhães (PCdoB-BA).

De acordo com o balanço divulgado pela Petrobras, a companhia teve prejuízo de R$ 6,2 bilhões com os desvios de recursos investigados pela Operação Lava Jato, da Polícia Federal. O resultado líquido de 2014 ficou negativo em R$ 21,6 bilhões.

Juiz condena Youssef, Costa e mais seis na Lava Jato

Citando as delações premiadas de Costa e Youssef e as provas obtidas com as quebras de sigilos fiscais, o juiz diz ter constatado 20 manobras de lavagem de dinheiro entre a Sanko e as empresas do doleiro

O juiz federal Sérgio Moro condenou, nesta quarta-feira, oito réus da Operação Lava Jato por lavagem de dinheiro e organização criminosa no caso do pagamento de propinas e superfaturamento da obra da Refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco. Entre os condenados estão o doleiro Alberto Youssef e o ex-diretor de abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa, considerados dois dos principais personagens do “petrolão”.

Ministros do STF criticam disputa de poder que suspendeu depoimentos

Decisão tem efeito sobre processos que estão relacionados a 40 investigados entre políticos e operadores do esquema

Ministros do STF (Supremo Tribunal Federal) criticaram na última quinta-feira (16) a disputa de poder entre as cúpulas do Ministério Público Federal e da Polícia Federal sobre os rumos das investigações de políticos suspeitos de envolvimento no esquema de corrupção da Petrobras.

 

Continuar lendo